terça-feira, 10 de novembro de 2009

CHORO MAGOADO



Na quietude do tempo
houve um grito
de silêncio que soou
e nesse momento
parou escutando
dentro de mim
até meu próprio pensamento.
Quem está chorando
assim,
que em mil pedaços
a alma me quebrou
e todos os ruídos
do silêncio
num choro tão
sentido
transformou?
Oh! Nesse horizonte não,
não chore,
deixe que o sol ria
e que nesse horizonte
violeta,
magoado,
seja o choro
em choro de alegria
transformado.

3 comentários:

Reyel disse...

Nossa!

Adoro seus poemas! Tem rima, tem melodia...

Bjo na alma!

Lídia Borges disse...

Nenhum choro poderá perdurar, após a leitura deste delicado poema.

Lindo!

Um beijo

Layara disse...

...me li
nesses versos...


Amei!