sábado, 17 de setembro de 2011

AMARAMARAMARA::::::::::




Eu amo-te por ti mesma,
Mulher,
porque não és
oposto de mim mesmo
mas meu próprio complemento.
Como é belo amar-te.
Coberta a noite,
longos cabelos nos vestem
penteados por raios de luar,
nus de preconceitos
como a natureza
no renascer
de cada primavera
no cio dos animais,
no silêncio absoluto
de uma cópula ancestral
de milhões de anos.
Como é belo amar-te,
conjunto definido,
amor,
num tempo indefinido 
ainda que o seja
apenas em pensamento.
Como é belo amar-se!
Eu amo-te,
Mulher,
porque não és
oposto de mim mesmo
mas meu próprio complemento.
Eu amo-te por ti mesma. 
                                             

3 comentários:

Miguel Taveira disse...

Bela escrita grande Akhen.

mARa disse...

Querido!

Que dizer-te
Se dissestes
Tudo!

Catarse?!
Purificação?!

Permites-me
Todas as
Possibilidades
de Viver e Sentir
Cada verso!

Bjo!

Paz e Luz em teu caminho!

Anónimo disse...

amadisimo hombre

el que conozco

el que siempre intuí

un beso,

dos besos,

tres besos....